Facebook Linkedin Facebook
A App RIDA®SMART na Schapfenmühle Métodos Rápidos para Análise de Micotoxinas Controlo de Qualidade NIR 3.0 Ambifood Presente na Tecnipão 2018 Química Líquida Supera Microondas Na Digestão De Metais Vestigiais Vapodest® - O Melhor Para Determinação de Álcool em Bebidas Análise NIR Atualizada para Norma ISO 12099 Portugal Afetado por Intoxicação com Atum Espanhol Adulterado Soxtherm® Na Indústria Têxtil EFSA Abre Consulta Pública Sobre Listeria Ambifood na Feira Alimentaria 2017 Ver mais »

Notícias - Comida Sem Glúten: Normas e Regulamentos Que Deve Saber

Comida Sem Glúten: Normas e Regulamentos Que Deve Saber 17/03/2017

Os produtores de géneros alimentícios isentos de glúten devem cumprir requisitos em termos de rotulagem, fabrico e análise. Do Codex Alimentarius à norma AOECS e regulamentos da UE: resumimos as legislações existentes e as recentes resoluções que deve estar a par em 2017.


Codex Alimentarius

O Codex Alimentarius é um conjunto de normas para a segurança alimentar. É desenvolvido conjuntamente pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com o objetivo de garantir a proteção do consumidor. O documento é baseado no conhecimento científico e contém regulamentos para diferentes aspectos da segurança alimentar, incluindo toxinas, suplementos, resíduos, microorganismos, GMO e alergéneos alimentares. As normas estabelecidas no Codex Alimentarius são recomendações e não são juridicamente vinculativas; No entanto, muitas leis nacionais são baseadas nesta norma. O documento "CODEX STAN 118-1979: Standard for Foods for Special Dietary Use for Persons Intolerant to Gluten” é de particular interesse para os produtores de alimentos sem glúten. Entre outras coisas, a norma define valores-limite para o glúten. Consequentemente, um produto só pode ser rotulado como isento de glúten se não contiver mais de 20 mg / kg de glúten. Os produtos que contenham mais de 20 e menos de 100 mg / kg de glúten podem ser rotulados como "glúten muito baixo".



No início de dezembro de 2016, o "Comité do Codex sobre Nutrição e Alimentos para Uso Dietético Especial" (CCNFSDU), um conselho da Comissão do Codex Alimentarius, reuniu-se em Hamburgo, na Alemanha. Uma decisão importante no relatório oficial: O método de análise a ser utilizado para a detecção de glúten é um teste ELISA baseado no anticorpo R5 (como o RidaScreen Gliadin, imagem à direita). A utilização de um ELISA G12 não é recomendada devido à falta de comparabilidade até nova comunicação.



AOECS


O AOECS (Association of European Coeliac Societies) é a organização europeia que compreende as sociedades celíacas nacionais. Estas sociedades associadas licenciam o uso do símbolo de Grãos Cruzados protegido por marca registada. Os fabricantes que desejam utilizar este símbolo devem assinar um contrato de licenciamento. Isto exige altos padrões de produção e análises regulares, provando que os produtos são isentos de glúten. Nem todos os produtos podem usar o símbolo do Grão Cruzado. A fim de proteger os consumidores de alegações enganosas, alimentos não transformados que são livres de glúten por natureza não pode usar o símbolo "sem glúten". Isto inclui, por exemplo, frutas e legumes frescos, bem como ovos e leite.

O AOECS publica regularmente o Padrão AOECS para Alimentos Sem Glúten, que define os requisitos técnicos para o licenciamento do símbolo de Grãos Cruzados. Contém, por exemplo, guias HACCP e declarações sobre o método de análise a ser utilizado para a detecção de glúten. Na actual edição da norma (Setembro de 2016), o AOECS requer a utilização de um ELISA sanduíche baseado no anticorpo R5 para análise de glúten (tal como o RidaScreen Gliadin) de acordo com a norma Codex. Para a detecção de glúten em alimentos fermentados ou hidrolisados, deve ser aplicado um ELISA competitivo R5 (tal como o RidaScreen Gliadin competitivo). Além disso, um teste de fluxo lateral baseado no anticorpo R5 pode ser usado para controlo rápido de higiene em casa (como o RidaQuick Gliadin).


Regulações da União Europeia

São obrigatórias para todos os fabricantes que vendem os seus produtos na UE. As seguintes leis devem ser observadas:






Novos Produtos

RIDASCREEN® Cloranfenicol Optimizado

O uso do antibiótico de amplo espectro cloranfenicol (CAP) para animais produtores de alimentos é proibido em toda a UE e em muitos outros países.


No entanto, como o CAP tem excelentes propriedades antibacterianas e farmacocinéticas e também pode ser produzido de forma barata, é usado em todo o mundo. Os resíduos de cloranfenicol também podem ter outros efeitos indesejáveis que 
podem causar danos à medula óssea ou levar à potencialmente letal pancitopenia (anemia) nos consumidores. A fim de assegurar a protecção dos consumidores, níveis de desempenho mínimo exigidos (MRPL) foram introduzidos para testes de controlo de resíduos. Estas são 300 ng / kg para todas as matrizes que são examinadas. 

O ensaio recentemente desenvolvido, RIDASCREEN® Chloramphenicol (imagem à direita), é um imunoensaio enzimático competitivo (ELISA) para a análise quantitativa de CAP no leite, leite em pó, produtos lácteos, mel, carne, peixe, camarão, ovos, urina , Plasma / soro e ração animal. Este novo teste irá substituir o anterior. Em contraste com o teste anterior, o novo teste CAP oferece uma série de melhorias: Devido à redução do tempo total de incubação para 45 minutos e a provisão de todos os reagentes como soluções prontas para uso, o exame das amostras é agora consideravelmente mais rápido e mais simples. O amplo espectro de matrizes analisadas (incluindo o metabólito cloranfenicol-glucuronídeo na urina), bem como a sensibilidade melhorada, permite o exame confiável do CAP numa variedade de amostras. Informações detalhadas (comparação do antigo e do novo teste, relatório de validação, etc) estão disponíveis mediante pedido. Para tal entre em contacto connosco.





Conjunto RIDA®SMART APP Analyser


O novo conjunto RidaSmart App Analyzer (imagem à direita) contém tudo o que é necessário para a análise de micotoxinas num pacote completo. Este conjunto contém a licença para a App, um smartphone Nexus 6P e o suporte para smartphone.






Tricotecenos: Optimize a sua análise de micotoxinas com teste multi-substâncias.

A detecção de micotoxinas é um desafio para muitos agricultores, produtores de alimentos e laboratórios.


Por um lado, as matrizes a serem testadas são muitas vezes complexas - por exemplo, a ração animal é difícil de analisar uma vez que a composição exacta é muitas vezes pouco clara. Por outro lado, a análise de micotoxinas representa um problema, uma vez que existe um grande número de micotoxinas que podem estar presentes no produto.

Um grupo de micotoxinas que é particularmente relevante são os tricotecenos. Estes são produzidos principalmente por moldes do género Fusarium e são frequentemente encontrados em cereais. Os tricotecenos são classificados em quatro subgrupos (tipo A a D) de acordo com a sua estrutura química, sendo os tipos A e B os mais relevantes. As toxinas importantes dentro do grupo são T-2, HT-2, DON e Nivalenol.

A análise de tricotecenos numa única corrida pode ser realizada por GC ou mais vulgarmente por LC-MS/MS. Estes métodos requerem limpeza de amostra e colunas de extração em fase sólida (SPE) são geralmente escolhidas. A Ambifood fornece um número de colunas SPE para a detecção de tricotecenos numa única corrida de LC-MS/MS.


               



Para mais informações por favor entre em contacto connosco.


« voltar

COMPETE - QREN - EU