Facebook LinkedIn YouTube
Como começar com análise de vitaminas Saladas pré-embaladas frequentemente contaminadas com bactérias, vírus ou fungos prejudiciais, revela um estudo recente realizado na Alemanha Portugal aperta vigilância face à epidemia de Peste Suína Africana Interpol apreende produtos alimentares adulterados no valor de 103 milhões de euros Quão eficaz é a sua monitorização de Salmonela? O workshop Real-Time PCR em Vinhos foi um sucesso! Aveia sem glúten: como garantir a segurança dos produtos de aveia Tetrodotoxina: a história do peixe mais tóxico que o cianeto Workshop: Real Time PCR em vinhos Seminário DUMAS: Método de Referência para Nitrogénio e Proteína em 3 Minutos A App RIDA®SMART na Schapfenmühle Ver mais »

Notícias - Saladas pré-embaladas frequentemente contaminadas com bactérias, vírus ou fungos prejudiciais, revela um estudo recente realizado na Alemanha

Saladas pré-embaladas frequentemente contaminadas com bactérias, vírus ou fungos prejudiciais, revela um estudo recente realizado na Alemanha 17/07/2019 @ R-Biopharm. Foto ©Shutterstock / stanga

As saladas pré-embaladas prontas para o consumo são convenientes e cada vez mais populares entre os consumidores. No entanto, estas saladas estão frequentemente contaminadas com bactérias, vírus ou fungos prejudiciais, segundo um estudo recente realizado pelo Instituto Max Rubner (MRI) em Karlsruhe, Alemanha. Existe um alto risco de contaminação microbiológica, especialmente durante os meses mais quentes.

Para o estudo, um total de 600 amostras de supermercados alemães foram analisadas ao longo de um período de três anos, incluindo saladas prontas para comer, alface, ervas, pepinos, cenouras, cogumelos e alimentos germinados. A contaminação mais severa foi encontrada em saladas prontas para consumo, com 6% das amostras contaminadas por bactérias patogénicas humanas, como Salmonella, Listeria ou Escherichia coli. Além disso, 42% das saladas testadas excederam o valor de referência para a contagem total de bactérias, conforme recomendado pela Sociedade Alemã de Higiene e Microbiologia (DGHM). Algumas amostras até excederam os valores de aviso, por exemplo, para Bacillus cereus e bolores. No geral, a qualidade microbiológica das saladas mistas foi considerada insuficiente. Os pepinos, cenouras e cogumelos foram considerados bons, a alface considerada de nível médio a bom e ervas aromáticas consideradas aceitáveis.
Estes produtos são particularmente vulneráveis ​​à deterioração pois a camada protetora natural das plantas é destruída pelo descascamento e corte. O conteúdo celular pode escapar, servindo como alimento para microrganismos, e o ambiente húmido em sacos plásticos ou frascos também promove o crescimento de microrganismos. De acordo com o estudo, não se pode descartar um risco para a saúde do consumidor, especialmente porque os produtos cortados de fresco são geralmente consumidos diretamente, sem a lavagem prévia. Crianças, idosos, grávidas e indivíduos imunodeprimidos são os mais vulneráveis. Os autores recomendam armazenar saladas pré-embaladas a uma temperatura máxima de 4 °C e consumi-las o mais rapidamente possível.                                             
                                     
Deteção de contaminação microbiológica
                                                     
Vários métodos estão disponíveis para a deteção de microrganismos patogénicos em alimentos. A análise microbiológica por meio de placas de meio de cultura prontas para uso é muito fácil de realizar. No entanto, métodos imunológicos (ELISA) ou métodos biológicos moleculares (PCR em tempo real) fornecem resultados mais rápidos.


« voltar

COMPETE - QREN - EU