Facebook Linkedin Facebook
Ambifood Presente na Tecnipão 2018 Química Líquida Supera Microondas Na Digestão De Metais Vestigiais Vapodest® - O Melhor Para Determinação de Álcool em Bebidas Análise NIR Atualizada para Norma ISO 12099 Portugal Afetado por Intoxicação com Atum Espanhol Adulterado Soxtherm® Na Indústria Têxtil EFSA Abre Consulta Pública Sobre Listeria Ambifood na Feira Alimentaria 2017 Rida Cube Scan no Scotch Whiskey Research Institute Descoberta Bactéria "Listeria" Num Lote de Queijos na Ilha das Flores Fraude alimentar: O que está na nossa comida? Ver mais »

Notícias - 5 Dicas essenciais para evitar a contaminação de glúten

5 Dicas essenciais para evitar a contaminação de glúten 18/10/2016

Ambifood Alimentar

Cada vez mais se fala sobre a intolerância ao glúten e a procura por alimentos livres deste alergéneo tem aumentado nos últimos anos. No entanto, ainda restam muitas dúvidas quando se preparam refeições para celíacos. Aqui estão os cuidados que precisa de ter quando cozinhar sem gluten

As pessoas que sofrem de doença celíaca ou têm sensibilidade ao glúten devem seguir uma dieta rigorosa. Nos últimos anos foram alcançadas algumas melhorias para as pessoas afetadas: o glúten tem de ser marcado na lista de ingredientes, a oferta de produtos sem glúten tem aumentado e a oferta na restauração tornou-se mais diversificada. No entanto, ainda há o risco de comer glúten acidentalmente. O risco de contaminação cruzada é especialmente alto em fábricas e cozinhas que produzem ou preparam produtos sem glúten ao mesmo tempo que preparam alimentos que contêm glúten. Por exemplo, os alimentos sem glúten naturais, tal como farinha de arroz, são muitas vezes contaminados com glúten.



Fontes de risco na produção e no laboratório

A contaminação cruzada é um grande problema especialmente quando se lida com farinha que contém glúten. A moagem de cereais e o processamento de farinha dá origem ao pó de farinha. Este pó espalha-se pela sala e pode entrar em contacto com alimentos, superfícies, toalhas e roupas de trabalho. Isto resulta num risco de contaminação elevadíssimo.

No laboratório também é possível o surgimento de pó proveniente de grão durante a preparação da amostra. A contaminação de glúten no laboratório é problemática porque pode levar a resultados falsos positivos. O facto de que os resíduos de farinha têm normalmente uma distribuição não linear apresenta uma dificuldade adicional para a análise. Assim, o staff do laboratório deve sempre usar luvas e lavar superfícies e equipamentos com etanol (60%) antes da análise. Ao analisar produtos crus, a extracção e aplicação de testes devem ser realizadas em salas separadas.

Como as pessoas que sofrem de doença celíaca podem reagir até mesmo à mais pequena quantidade de glúten, precauções especiais devem ser tomadas a fim de evitar a contaminação cruzada além das medidas habituais de higiene.



Dicas para evitar a contaminação de glúten em casa


Se tem alguma dúvida ou procura a nossa ajuda ligue-nos ou mande mensagem através do Facebook Messenger da nossa página.


Consulte também o site da Associação Portuguesa de Celíacos para mais informações em relação a este tópico.




Detecte a contaminação de glúten no seu ambiente de trabalho


Quando produz ou prepara alimentos sem glúten inclua o teste das superfícies de trabalho para a contaminação de glúten. A maneira mais fácil para testar a contaminação será através do uso duma zaragatoa. Estas tiras de teste são fáceis de usar e dão resultados em apenas 5 minutos. O vídeo abaixo mostra como se realiza este teste utilizando o RIDA
®QUICK Gliadin.



Saiba mais sobre este produto aqui ou contacte-nos.


« voltar

COMPETE - QREN - EU